quinta-feira, 8 de julho de 2010

Coisas de filha e pai...













Oi Pai!
Tudo bem? Essa cartinha é só para compartilhar alguns pensamentos que tenho em relação a Deus, a espiritualidade, entre outros assuntos que de vez em quando a gente compartilha. Você sabe que esse é um dos meus assuntos preferidos rs. Isso porque o setor espiritual, para mim, é de suma importância, pois entendo que a vida aqui nesta Terra é rápida e passageira. Daqui, nada de material levamos, apenas o que enriquece e fortalece o nosso espírito. Entendo que estar viva hoje, neste mundo, neste momento, é uma grande benção, uma oportunidade 'ímpar' para evoluirmos, converter-nos aos verdadeiros valores (os espirituais e os morais) e contribuir para a instauração do reino de Deus, ou seja, construir um mundo de paz, justiça, respeito, harmonia e amor.

Hoje, o que mais faz sentido na minha vida é fazer parte deste projeto, colaborar com este trabalho de transformação da sociedade. Por isso desejo tanto trabalhar com responsabilidade social e sustentabilidade. Como profissional de comunicação, acredito que posso contribuir bastante para informar as pessoas, despertar a consciência, estimular hábitos e atitudes mais respeitosas em relação ao próximo e até mesmo em relação ao meio ambiente. Quem me ouve falar assim pode até pensar que sou uma cidadã exemplar, uma pessoa comprometida da cabeça aos pés com o bem-estar de todos, com a ética e a justiça, um ser humano 'evoluído',como dizem alguns. Mas eu não sou, tenho plena conciência disso, mas reconheço que tenho tentado dia-a-dia colocar em prática esses valores, modificar meus pensamentos e adotar uma nova postura em todas as situações.

Por conta deste próposito é que se justifca a minha constante busca por religião, ou seja, por uma prática comprometida com bem de todos e com a transformação do mundo. Como você mesmo disse, apesar de sempre ter sido católica, busquei e participei de algumas, aprendi coisas novas, troquei de teorias, me permitir conhecer e viver coisas diferenças. Na verdade, pai, eu não estava tentando me encontrar, como você cita na carta que escrevu para mim. Já sei quem eu sou e o que vim fazer neste mundo. O que eu queria mesmo era uma estrutura sólida, totalmente comprometida com a ética e o bem, um lugar onde eu pudesse me apoiar, me fortalecer, aprender, compartilhar, crescer e evoluir e, depois, ajudar os outros.

Todos nós precisamos de uma base sólida e segura para viver, todos nós precisamos de parâmetros para crescer e contribuir neste mundo. Hoje em dia, percebo que cada um segue sua própria consciência, seus próprios valores, ses próprios conceitos, as suas 'verdades'. Claro, eu também tenho as minhas. Quem não as tem? Afinal de contas, a liberdade é um dos maiores bens. A questão é como exercer esta liberdade, esse preciosos patrimônio. Somos responsáveis? Temos discernimento e sabedoria suficientes? Pensamos nas consequências que cada uma de nossas ações resulta, seja em nossa própria vida, na vida do próximo, das pessoas que amamos, da nossa comunidade, do meio ambiente, nos exemplos que podemos ou deixamos de dar? Ou simplesmenteexercemos uma liberdade egoísta e mesquinha, voltada somente para nossa satisfação pessoal? Acredito que para tudo há certos limites, até mesmo para a liberdade que nos foi concedida. Por conta dessa falta de limites de valores é que estamos vivendo em situações tão complicadas e tão tristes. Situações qe provocam sofrimentos, dúvidas, angústias e até mesmo violência.

Fico feliz ao constatar que, mesmo ainda nesta busca por ensinamentos morais elevados, muita coisa já faz parte da minha conduta. E isso eu devo a você e a mãe. Vocês são pessoas completamente diferentes. Praticamente em quase todos os aspectos vocês entram em atrito. Mas como todo ser humano, vocês têm dois lados, e eu aproveitei bastante o lado positivo de vocês - e até o negativo! Risos...

Com você, pai, eu aprendi a repeitar e conviver com todos, seja quem for, o que tenham feito, suas crenças e valores. Com você, aprendi que somos todos iguais e que preconceito é uma coisa muito feia. Com você aprendi que não precisamos esconder nada, mesmo que tenhamos feito alguma muito errada. Entendi que a espiritualidade começa dentro de nós mesmo, aprendi a cultivar as amizades e a alimentar cada vez mais esta rede que nos sustenta nos delicados e nos grandes momentos da vida. Aprendi que um abraço e um colo de pai é a situação mais segura e confortável do mundo. Que é possível sorrir mesmo nos momentos mais difíceis, e que viver Nelson Gonçalves , Fagner, Joana, Martinho da Vila domingo de manhã é uma delícia!

Com a mãe aprendi que a vida é coisa séria e que precisamos 'andar na linha'para vencê-la e conquistar nosso espaço. Aprendi que as obrigações não são um peso, elas fazem parte da vida de qualquer ser humano. Fugir só irá atrasar nossa caminhada e nos prejudicar. Enfrentá-las nos torna mais fortes, mais guerreiros e mais valentes. Com a mãe, aprendi que mentira tem perna curta. E tem mesmo! Que em toda e qualquer situação, ela é o pior caminho, a pior escolha. Aprendi a dar valor a cada centavo que ganho e que mesmo sendo pouco, com consciência, economia e uma atitude responsável podemos fazer muito. Com ela, aprendi que o lar é nosso verdadeiro porto seguro e que mãe é tudo numa casa. Não há palavras para descrever tamanha dedicação, preocupação e atuação. Ela nunca descansa, trabalha mesmo de longe por meio de suas orações.
Que lições mais lindas vocês nos deram! Se eu conseguir transmitir um pouco dessa educação para meus filhos, ficarei muito feliz. Acredito que eles também, poi eu sou uma pessoa muito feliz e abençoada por ter vocês. Como nosso propósito aqui na Terra é encontrar a felicidade e distribuá-la aos outros, eu quero compartilhar um tesouro que tem preenchido de forma sobrenatural a minha vida - o relacionamento que estou desenvolvendo com Deus. Todo dia, tenho uma prova de seus poder e seu amor. Pode parecer estranho, eu sei, falar assim como se eu nunca tivesse me importato com Ele, mas é uma relação diferente agora. Reconheço que vocês sempre estimularam a gente - eu e meus irmãos - a rezar, ir na missa e participar das atividades da igreja. Mas eu queria mais, achava que tinha que haver mais, mais conhecimento, mais estudo, mais comunhão, orações em família, mais comprometimento e entendimento. Não me lembro de ter participado de uma oração em conjunto, em nossa casa, quando ainda todos morávamos juntos. Lembro das festas, da participação dos vizinhos, amigos, familiares, bebidas, músicas, mas nunca participei de um momento especial dedicado a Deus, uma pausa para agradecer Àquele qe nos protege, nos ampara e nos concede todo o bem da Terra.

Talvez vocês justifiquem que vocês ensinarem, mas cada um deveria fazer sua parte e que vocês não poderiam nos obrigar a nada. Tudo bem, concordo. Mas a gente só se sente obrigada a fazer alguma coisa quando não detectamos relevância no fato ou quando não concordamos. Mas como podemos discordar de alguma coisa se nem experimentamos, se nos falta conhecimento e até incentivo? Hoje, por conta da igreja (a Líber), das meninas que moram comigo (a Ana e a Ju) e da Execultive (Tami e Renata) estou descobrindo a alegria de orar em união, chamar a Deus para o nosso meio e compartilhar com Ele nossos sonhos, anseios e receios. A gente se sente mais forte, mais unidos e mais parecidos uns com os outros. Afinal de contas, somos filhos do mesmo Pai.

Por falar em Deus, era isso que eu queria compartilhar com você, pai. Quando estive te visitando no iníco desse ano, você disse que estava muito satisfeito. As dificuldades maiores haviam passado, seus produtos foram aperfeiçoados, as vendas melhorado e agora você estava morando de frente para o mar, sonho que aimentava há anos. Em um determinado momento, você olhou o céu, o mar, as montanhas e disse que para você Deus era isso, uma natureza magnífica e absurdamente bela. Fiquei muto fliz em perceber sua sitonia com o Criador. Sim, podemos ver e sentr Deus em tudo que vemos ou sentimos, em cada detalhe em cada ser vivo, na natureza, no céu, em nossos semelhantes e até nos microrganismos. Tudo é muito rico e complexo. Mas, acredite, tudo o que vemos é somente parte de uma grande obra cujo autor é nosso Deus. Fico imaginando seu poder e sua plenitude frente a essa magnífica obra, a todo esse universo que, segundo cientistas, não pára de se expandir. Se não temos noção sequer de toda sua criação, quem dirá do próprio Criador. Já dizia o famoso cientista fracês, Luis Pasteur, 'o conhecimento limitado nos afasta de Deus, o conhecimento profundo nos aproxima."

Acho que é assim mesmo. Para reconhecermos o nosso Deus basta olhar o mundo a nossa volta. Estar com o Pai é muito simples, experimentar seu poder nao exige nenhum ritual ou fórmula mágica. Basta querer, ter fé e se abrir. Querer é fácil, mas ter fé e se abrir é um processo que exige muito exercício e dedicação da nossa parte. Tenho me esforçado, mas confesso que estar ao lado de pessoas mais 'adiantadas' facilita muito. Além disso, como disse anteriormente, a comunhão entre os irmãos também é essencial, pois nos inspira e nos fortalece. Por favor, não deixe de ensinar e transmiti isso para o Giovane. Queria tanto, pai, que nós tivêssemos tido a chance de exercitar essa comunhão com Deus todos juntos. Aposto que as coisas seriam diferentes, que não teríamos passado por tantas dores e 'traumas'. Teríamos encontrado caminhos e soluções, teríamos aguentado as fortes ondas da vida e superado as dificuldades juntos. Juntos! Mas agora você tem a chance de transmitir isso ao Giovane, para as pessoas que convivem com você e também para aqueles que cruzarem seu caminho. Deixem que eles levem um pouquinho da sua fé e da sua luz. Porém, o mais importante é cutivar e exercitar, em casa, no dia-a-dia, ao lado das pessoas com as quais convivemos, a fé e o relacionamento com Deus. Depois a gente pode compartilhar. Pois para transmitir algo precisamos ser exemplos, não é mesmo? Pense nisso quando tomar uma latinha de cerveja na frene do Giovane. Desculpe, não resistir em cutucá-lo... A quesão é que eu também acredito que para se ter um bom relacionamento com Deus precisamos adquiir e adotar bons hábitos. Preciamos também valorizar o que somos, a vida que recebemos e a vida das outras pessoas também. Sou chata e vivo falando essas coisas porque amo muito você, pai, e me preocupo com o meu irmãozinho. Que Jesus os ampare e os guarde sempre. Com carinho... Raquel

Um comentário:

Tutu Dimer disse...

Ola!
Venho por meio desta mensagem, convida -los para conhecer um novo blog:
Blog O ALTÍSSIMO
O blog espírita que leva a apalavra de Deus:
http://o-altissimo.blogspot.com/

Gostei muito deste blog
Parabéns!!
obrigado!!